domingo, 10 de junho de 2007

Pastor Luis Gonçalves: Viver intensamente

Uma família, numa cidade distante e pouco conhecida – Naim. Tragédia. A morte chegou aquele lar. A mulher perdeu seu marido e depois seu filho adolescente. A caminho do enterro do filho, um encontro inusitado. Por ali, passava também Alguém capaz de vencer a própria morte – Jesus.

“Não chores!”, disse Ele (Lucas 7:13). Estranho conselho. Ele mesmo havia chorado diante de Jerusalém, de Lázaro, seu amigo morto. Portanto, Jesus tinha chorado diante da morte. E face ao fim, restam as lágrimas. Quem pediria para alguém não chorar diante da quebra da vida? Mas Ele tem a autoridade. Sabia: o fim era apenas mais um glorioso momento. Jesus trouxe à mãe desconsolada, sua preciosidade: o filho. A vida voltou para aquele adolescente.

Mas há muitos que estão morrendo e famílias em luto. Adolescentes perdendo a vida. Há quatro sinais de morte:

● Falta de vontade de orar.
● Falta de vontade de ler a Bíblia.
● Falta de vontade de ir à igreja.
● Falta de vontade de testemunhar.

Edson estava nessa condição. Envolveu-se com drogas e teve uma overdose. Saiu desorientado por uma rodovia e numa ponte ameaçou se matar. Um pastor foi até lá, em meio à aglomeração de pessoas e cobertura televisiva. Edson foi salvo. Internado em uma clínica de recuperação, teve a oportunidade de assistir a uma série de conferências do pastor Luis Gonçalves. Jesus o encontrou nesse caminho. A vida desse adolescente foi transformada.

No Adolecamp, ele contou sua história, abraçado à mãe, que teve de volta seu filho e também aceitou ao Pai, deixando de lado o cigarro. “Como adolescente a gente toma certas atitudes. Um dia, tive os quatro sintomas de morte. A maioria dos jovens tem se desviado da igreja e buscado prazeres lá fora, que não são bons. Precisamos orar, ler a Bíblia, ir à igreja, testemunhar. O que Jesus fez na minha vida pode fazer por você”, afirma Edson, que fez parte da equipe de apoio do 4º Adolecamp.

Um comentário:

Anônimo disse...

foi jóia